A política é marcada pela ação humana, que tem no pensar e no agir o seu fundamento. Por isso, Aristóteles (s.d.) diz que o “homem é um animal político, destinado a viver em sociedade […]. O que distingue o homem de um modo específico é que ele sabe distinguir o bem do mal, o justo do injusto”.
A racionalidade, conjugada à ação política, produz a cultura. Cultura é o fenômeno decorrente das interações do homem com o meio (geografia), nele produzindo transformações. A sociedade é o conjunto de todos os indivíduos, que, em determinado estágio de seu desenvolvimento, funda o Estado, que decorre da criação intelectual. A política exige racionalidade de toda a sociedade para se evitar diversos tipos de conflitos, principalmente aqueles com capacidade para provocar o pior mal social: a guerra, causadora de mortes e geradora de destruição. (Fonte: Revista Vanguarda Jurídica / Setembro 2018).

Leia o artigo na íntegra